Seja um Voluntário

Ser Voluntário

Você pode até não acreditar, mas há muitas pessoas que trabalham para melhorar a vida de outros indivíduos. Normalmente, são pessoas voluntárias que mesmo tendo seus horários profissionais, dedicam algumas horas para beneficiar as pessoas que precisam de auxilio, pessoas em estado de vulnerabilidade.

Muitos desses voluntários são anônimos e preferem continuar assim; já outros se apresentam a sociedade, o que não é errado, pois servem de exemplo para aqueles que não fazem nada para a edificação da sociedade. Apenas reclamam que tudo está errado, mas não dão nenhuma solução aos problemas que aponta.

PrintPara não ser radical em minhas palavras, digo que não é preciso trazer a solução, mas é preciso participar de grupos que trazem a solução para as pessoas que precisam de auxilio.

Ser uma pessoa com deficiência não lhe impede de ajudar outras pessoas, basta ter iniciativa, participar da sociedade, sair às ruas e apontar o problema e colaborar para a solução. Aproveite as ferramentas que possui, ou seja, se for uma cadeira de rodas, use-a para mostrar onde está o problema de arquitetura, se for surdo, mostra as dificuldades de comunicação com a sociedade e se não possuir a capacidade de enxergar com os olhos do corpo físico, aponte os problemas com a alma e apresente um novo formato de ver a vida.

Infelizmente há também aqueles que parecem ter nascidos para conturbar a sociedade. No que se trata da pessoa com deficiência, são aquelas pessoas sem deficiência que não perdoam as vagas especiais para idosos e deficientes, aquelas pessoas que “alugam crianças” para passar na fila especial em bancos e repartições publicas, aqueles que não se preocupam em aprender outras formas de se comunicar, pois não entende que no mundo há cegos e surdos.

Ser um voluntário é mais do que se inscrever em uma instituição filantrópica para prestar algumas horas de um serviço qualquer. É se apresentar na sociedade como um bom exemplo para outras pessoas, a fim de colaborar na transformação da mesma.

Lembre-se: O voluntário no trabalho social deve ser espontâneo, sem visar nenhum tipo de contrapartida. Se houver a obrigatoriedade da ação, deixa de ser voluntário; havendo contrapartida de qualquer natureza, deixa de ser social.

Seja um voluntário, mais do que isso, seja um verdadeiro cidadão e transforme a sociedade em que vive, fazendo-a cada vez melhor.

Se você for a algum estabelecimento comercial, dê preferência aos locais com acessibilidade arquitetônica e de atendimento a pessoas com deficiência.

Forte abraço

Paulo Generoso.